A conta poderia fechar se não fosse a torneira aberta

Por Jairo Martins, presidente executivo da FNQ

Vimos as tentativas do governo em estancar a sangria dos cofres públicos buscando novas receitas. O aumento do PIS/COFINS sobre combustíveis foi um tiro pela culatra. O fato é que o poder público enfrenta o pior resultado fiscal desde o início da série em dezembro de 2001 com déficit primário de R$ 19,552 bilhões em junho e as previsões para os próximos meses não são animadoras.

Leia mais