Workplace Experience e Pulmão de Reforma

Obras e reformas demandam uma Gestão de Facilities atenta às necessidades e cuidadosa com os colaboradores. Acomodar o time é uma exigência crítica e constante do gerenciamento do escritório. Entretanto, as estratégicas precisam ser específicas durante retrofits a fim de controlar os impactos e evitar transtornos. Junto às questões de segurança e condições ideais para o trabalho, uma atmosfera propícia à produtividade e conforto precisam ser priorizados. Para isso, é ideal que o momento conte com estruturas que suportem às mudanças e que ofereçam uma experiência positiva no workplace.

Manter os colaboradores no ambiente da obra é, no mínimo, improdutivo e desagradável. Portanto, usar a tática de Pulmão de Reforma (ou Pulmão de Obra) é uma tomada de decisão inteligente e respeitosa com a equipe. Aliás, manter os colaboradores na obra também é um complicador para a própria realização da reforma. Tanto quem trabalha no escritório quanto quem trabalha na obra é negativamente afetado pelas dificuldades de dividir o ambiente. 

Além das questões práticas de computadores e ferramentas no mesmo lugar, as experiências vividas no ambiente de trabalho constroem o relacionamento entre empresa e profissionais e devem ser tratadas com a devida importância. Cada vez mais, conceitos como o Workplace Experience e Employee Experience reforçam a relevância de espaços adequados e de ações preocupadas com o bem-estar das pessoas. 

Mobiliário flexível para Pulmão de Reforma 

Porém, como garantir um ambiente de trabalho focado em pessoas e orientado à performance mesmo durante retrofits? Mobiliar o Pulmão de Reforma com a flexibilidade do mobiliário sob demanda é a resposta perfeita para esta necessidade. A John Richard auxiliou uma multinacional alemã a criar um Pulmão de Reforma com 120 posições de trabalho.

O espaço atendeu à remodelação do escritório, que ocorreu sem comprometimento da continuidade das atividades do negócio. Como a obra seria realizada com rotação dos ambientes reformados, o espaço foi chamado de área volante, pois a ideia era acomodar os colaboradores com liberdade para movimentações. Desde o início, a gestão tinha clareza de que a demanda seria temporária, visto que a obra foi programada para durar 3 meses. Então, flexibilidade era um critério contundente da Gerência de Facilities Management, que escolheu a solução de móveis on demand justamente pela praticidade de um serviço centrado no uso.

A área volante foi inteiramente mobiliada com mesas, cadeiras, sofás e puffs alugados. Tudo foi entregue conforme solicitado e o serviço assegurou os móveis sempre prontos para o uso. Outro ponto de destaque do projeto foi o fato da empresa alemã estar em processos internos de transformação digital e adoção de métodos ágeis. Com isso, o Pulmão de Reforma precisava ir além de espaço de trabalho, funcionando como ambiente de testes para o novo conceito de workplace da organização. Na migração de espaços fabris para células e squads, itens como compartilhamento e cocriação foram parâmetros da área volante, que foi mobiliada com mesas plataforma, mesas hexagonais e puffes colaborativos.

O case é apenas um exemplo de como o aluguel de móveis é uma solução útil e prática para o dia a dia do Facilities Management. Sendo que, especificamente no modelo sob demanda, a locação atende demandas temporárias com eficiência e permite que os movimentos do negócio e do mercado sejam acompanhados com agilidade.

____________________________________________________________________________

Conteúdo oferecido pela John Richard: maior locadora de móveis do Brasil. Com 20 anos experiência, a empresa oferece soluções de mobiliário on demand e as a service para escritórios e residências em todo o Brasil.