"Usar novas tecnologias, pode ajudar a área de Facilities a emplacar novos projetos"

Com experiência na área de Facilities de grandes empresas de tecnologia como OLX, Cast Group e Certisign, Lucas Iak atualmente é Gerente de Serviços e Patrimônio do Banco Pine.

Pós-graduado em Administração de Empresas, pela Fundação Getúlio Vargas e com MBA especializado em Tecnologia da Informação, possui amplo conhecimento em de gestão de contratos nas áreas de segurança patrimonial, serviços gerais, viagens, infraestrutura de TI e Real Estate.

Em nossa conversa ele conta um pouco sobre os principais desafios da carreira e traz dicas preciosas para os Facilities Managers, que estão iniciando sua trajetória.

Confira!

Qual o nome da área de empresa onde atua e para quem se reporta?

Compras, Serviços & Patrimônio, me reportando ao Vice-presidente de Governança, Regulação e Operações.

Quais foram seus maiores desafios quando assumiu a área de Facilities na empresa atual?

Como vim de um mercado um pouco diferente do mercado financeiro, com especificidades e atividades também diferentes, levei um tempo para me adaptar às ideias e conceitos, além de ter que rapidamente assimilar e desenvolver novas atividades que não tinha antes, como Real Estate. O grande desafio era unir a minha experiência com a experiência de uma instituição com mais de vinte anos de mercado e introduzir no dia a dia do time visando os resultados a curto, médio e longo prazo.

Fale um pouco sobre a implantação de projetos que desenvolveu e que contribuíram para redução de custos ou melhoria na qualidade dos serviços ou que pretende desenvolver no próximo ano.

Redução de custos e melhoria de qualidade de serviços são itens que estão a todo instante na mente de todo gestor de facilities e comigo não é diferente. Nas primeiras semanas de trabalho nesse novo desafio, tive inúmeras reuniões com meus times e áreas relacionadas para entender os cenários que atuaríamos. Integramos a área de compras especializadas ao banco todo, trazendo a gestão de contratos de fornecedores para ela, gerando uma sinergia e entendimento para que pudéssemos renegociar diversos contratos. Um dos frutos gerados por essas analises foi poder reduzir consideravelmente nossos custos de instalação (aluguel, condomínio, IPTU) com uma migração de endereço. Essa migração iniciou-se no final de 2018, findando-se agora de forma bem-sucedida em abril de 2019.

Como concilia vida profissional e pessoal?

Esse é um dos nossos grandes desafios no século XXI, uma era onde tudo está conectado a essa nossa rotina alucinante de trabalho. Para conviver cada vez melhor com essa rotina, eu tento conhecer algum lugar novo com minha família sempre que possível, ter contato com a natureza (fauna e flora), assistir às partidas de futebol e como hobby eu adoro praticar corridas de rua e bicicleta. Gosto muito desses momentos onde esqueço os problemas, mas ao mesmo tempo tomo fôlego para enfrentá-los.

Como você vê o crescimento do mercado de Facilities no Brasil?

Eu vejo uma profissionalização com um crescimento orgânico e estruturado gerando e aproveitando as novas tendências de mercado. Durante o ano todo, temos diversos eventos e congressos sobre o tema e isso vem de forma benéfica acontecendo fora do principal polo do país, que é São Paulo. Com essa descentralização, praças que não eram acostumadas a vivenciar a atividade do profissional de Facilities estão agora entendendo a importância estratégica da Gestão de Facilities como provedor de soluções e agora também, como provedor de negócios e relacionamento.

Quais competências você acredita que sejam essenciais para um (a) profissional de Facilities ser requisitado (a) no mercado?

Eu acredito que para um (a) profissional de Facilities ser requisitado (a) no mercado, além da resiliência que é muito comentada por todos, ele (a) deve ser muito antenado (a) a novas tecnologias que possam ajudar no resultado do dia a dia e a emplacar novos projetos. Aliado a essas competências, eu diria que ter uma excelente rede de relacionamentos o deixará mais ágil para tomada de decisões, apoiadas por conhecimentos trocados nessa rede.

Que mensagem você gostaria de deixar para os jovens que estão ingressando nessa área?

Para atender as demandas de hoje nesse mercado tão exigente, que espera que os profissionais trabalhem muito de forma integrada, cabe ao jovem profissional ingressando em Facilities ser muito criativo – pois muitas vezes não terá muitos recursos financeiros para gerenciar - e multifuncional em seus conhecimentos. Essa multidisciplinariedade o dará embasamento na colaboração com o restante do time, empresa e mercado. Além disso, por se tratar muitas vezes de uma área com “missão crítica”, comprometimento e espírito de dono serão sempre itens que o destacarão da concorrência.